sábado, 25 de março de 2017




Ainda me sinto como aquela mulher (menina na insegurança),que deixou tudo para tras e se aventurou em uma vida completamente diferente da sua, foram muitas descobertas,tanta coisa mudou no meu interior, e tantas outras permaneceram intactas, aprendi muito, convivi na mesma intensidade com meus medos e com minha força...
Fiz novos amigos, conservei alguns bons e velhos mesmo com a distancia, na minha vida sobreviveram os que realmente gostavam de mim... talvez so por isso, so por ter acontecido esse filtro, tenha valido a pena... nao sei...
O importante é que toda experiencia é valida e mais importante ainda é quando a gente poe tudo na balança e se sente em paz consigo mesma...


"Bobeira é não viver a realidade
E eu ainda tenho uma tarde inteira
Eu ando nas ruas, eu troco um cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
Quem sabe eu ainda sou uma garotinha"